Retóricas!

Não é só “viver” que exige cuidados e atenção – para “viver bem” e de forma saudável precisamos muito mais, precisamos entre outras coisas, harmonizar nosso interior e nosso exterior.

Cuidar do físico, do intelecto, do social, do lazer, do corporativo e procurar desenvolver algo em que verdadeiramente possamos crer e ter plena certeza que esta crença nos faz crescer não só diante do quadro espiritual, mas também nos ajuda a enfrentar os “tsunamis” que surgem ao longo da vida.

Assim, o consultor de palpites embrulhado em um pacote de tagarelice desenfreada, caminhava acompanhando seus passos e com uma rara abastança verborrágica seguia fazendo a alegria de seu parceiro.

Os demais seguiam mastigando seus pecados vermelhos como um tomate, alternavam a companhia com alguma constância – às vezes em silêncio sepulcral, às vezes compartindo e não raro de forma introspectiva em orações. Caminhavam compassadamente cruzando e vencendo canaviais silenciosos camuflados de um longo banheiro que suga odores.

Debaixo de um sol escaldante suavam tanto que podiam beber.

Uns destilando uma fobia urbana que amassava a esperança de alcançar glórias e desdouros.

Outros seguiam plantando alegria, sacudindo o medo sem magoar os encantos de quem está descobrindo o renascer de um novo ser.

Mas os atos de Deus nos empurram nos fortalecem indenizando nossa perseverança; Anima-nos a seguir até ouvir as badaladas do “Sino da Glória” e desfrutar a alegria de quem soube vencer a si mesmo.

Ao final nosso peregrino “retórico” tropeça na língua portuguesa, quando ao exibir seu “Passaporte do Sol” tatuado de carimbos ergueu ao céu seu cajado, sacudiu o medo e disse:

__Agradeço a todos vocês, mas eles foram o plus “a mais” que me deram força para chegar até aqui.

Fonte: Tribuna de São Pedro